Em 1993 a web foi democratizada pela criação do HTTP (1991), um protocolo de rede de informações distribuídas e compartilhadas, e do HTML (1992), a interface para essa rede. Os dois juntos fizeram possível a criação do primeiro browser, o Mosaic. Esse foi apenas o principio, depois vieram outra invenções que fizeram da internet o que ela é hoje, o que com certeza não é a mesma coisa que ela será amanhã. A atualização dela é constante e vem com cada vez mais freqüência, como é possível ver no site The Evolution of Web.

Em 1997 os computadores passaram a não ser mais a única plataforma de acesso a web, o celular também passou a ser conectado, apesar das limitações dos primeiros modelos. Em 2007 o primeiro iPhone foi lançado, junto com os primeiros apps. Coincidentemente em junho de 2007 o quinto maior banco de investimento americano da época, a Bear Stearns anunciou a quebra de dois dos seus fundos hedge, mostrando a fragilidade do mercado e levando à crise imobiliária de 2008, que ainda mostra suas consequências.

Com a junção de uma ferramenta democrática como a internet e as perdas que a crise trouxe os prejudicados puderam reagir. O poder de criar e empreender não está mais só nas mãos de quem tem dinheiro para investir. O custo de criar um negócio na internet pode chegar a ser nulo. Além de diminuir o custo inicial de um negócio a web possibilitou a criação de novos modelos, como de compartilhamento. Seus representantes são o Airbnb, Uber, Netflix e o próprio Seats2meet.com, que já estão desbancando muitos dos negócios tradicionais.

Grupos onde a doação é praticada também surgiram, como o Free Your Stuff, original da Alemanha, ele já tem 14 mil pessoas anunciando seus pertences totalmente de graça em São Paulo e mais surgem no Brasil e no mundo todo dia. O site Tem Açucar? incentiva a volta da pratica de pedir uma ajudinha dos vizinhos, conectando pessoas que moram nos mesmos bairros que precisam de algo emprestado ou até algum serviço.

Eu nasci em 1993. Cresci e me atualizei junto com a web, sou cercada de novas informações todos os dias, mas principalmente de oportunidades e possibilidades. Estou entre uma geração de jovens que estão o tempo todo insatisfeitos, porém esperançosos. Sabemos que a responsabilidade de mudar um sistema insustentável é nosso, e juntamos isso com as ferramentas que temos em nossas mãos. Eu não faço parte da geração que vai viver no auge do Society 3.0, mas somos a geração que vai construi-la. A partir disso vou postar aqui na Magazine notícias, cobertura de eventos, novos negócios e lugares alinhados com esse conceito.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.